PRISÃO TEMPORÁRIA OU TORTURA?

No vídeo desta quinta-feira (16), a gente fala sobre o caso de prisão temporária do ativista Paulo Galo, que foi preso após ir à polícia, por livre e espontânea, e assumir a responsabilidade por queimar a estátua de Borba Gato, em São Paulo.

De acordo com apuração da Ponte Jornalismo, essas prisões temporárias são gambiarras legislativas que comprovam a “incompetência investigativa” da polícia. Além de ser inconstitucional e, legalizar, de alguma forma a tortura de suspeitos.

No caso de Galo, a sua esposa Géssica também foi presa, mesmo sem estar na manifestação em que o “crime” teria acontecido.

#DáUmReload e comenta aqui embaixo o que você acha sobre o assunto!

Para saber mais, leia: https://ponte.org/prisoes-temporarias-como-a-de-galo-e-gessica-funcionam-como-tortura-diz-pesquisadora/

#BorbaGato #PauloGalo #PrisãoTemporária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.